Gestão de Projetos: Comparativo entre PMBOK e PRINCE 2

Gestão de Projetos: Comparativo entre PMBOK e PRINCE 2

Cada vez mais a gestão de projetos tem se tornado uma importante ferramenta de desenvolvimento e, realizada adequadamente, pode gerar economia e ajudar a Organização a alcançar seus objetivos. Dois dos mais relevantes métodos de gestão de projetos são o PMBOK, e o PRINCE 2. Vejamos as principais características e diferenças entre um e outro.

PMBOK

PMBOK significa Project Management Book of Knowlegde, e é uma metodologia criada e mantida pelo Project Management Institute (PMI), entidade americana criada em 1969. O primeiro guia do PMBOK foi publicado em 1996, e tem suas origens nos padrões de gestão de projetos das indústrias aeroespacial, de construção e defesa dos Estados Unidos. Entre suas características, podemos citar que é orientado ao processo, e é descritivo, ou seja, apresenta várias ferramentas e técnicas a serem utilizadas, mas não especifica quais informações devem ser registradas. Sua estrutura está dividida em 10 áreas de conhecimento (Integração, Escopo, Tempo, Custo, Qualidade, Recursos Humanos, Comunicações, Riscos, Aquisições, e Partes Interessadas), e 5 grupos de processos (Iniciação, Planejamento, Execução, Monitoramento & Controle, e Encerramento). O PMBOK define projeto como sendo o esforço temporário empreendido para gerar um produto ou serviço. Uma das mais marcantes diferenças entre o PMBOK e o PRINCE 2 está na responsabilidade do gerente de projetos, enquanto que, no segundo, o gerente de projetos está subordinado a um Conselho Diretor (ou Conselho do Projeto), no primeiro, é ele quem tem a responsabilidade maior sobre o projeto. As principais certificações realizadas pelo PMI são: PMP (Project Management Professional), e CAPM (Certified Associate in Project Management).

PRINCE 2

PRINCE 2 significa Projects In Controlled Environments, e é uma metodologia mantida pela Axelos, uma joint venture criada pelo governo do Reino Unido e a empresa de tecnologia Capita. Essa metodologia vem de um padrão desenvolvido pela empresa Simpact Systems Limited, chamado PROMPT (Project Resource Organisation Management Planning Technique). PROMPT era uma metodologia de gestão de projetos para a área de Tecnologia da Informação, e foi desenvolvido para atender a uma demanda do governo do Reino Unido. O primeiro manual do PRINCE 2 foi publicado em 1996. Entre as suas características podemos citar que é orientado ao produto, e que é prescritivo, ou seja, além de apresentar várias ferramentas e técnicas a serem utilizadas, especifica quais informações devem ser registradas. Sua estrutura compreende 7 Princípios (Justificativa contínua do negócio, Aprender com a experiência, Papéis e responsabilidades definidos, Gerenciamento por estágios, Gerenciamento por exceção, Foco no produto, Adequação ao ambiente do projeto), 7 Temas (Business Case, Organização, Qualidade, Planos, Risco, Mudança, Progresso), e 7 Processos (Start Up, Direcionamento, Iniciação, Gestão dos limites dos estágios, Controle dos estágios, Gestão da entrega do produto, Fechamento). A definição que é dada para projeto é a seguinte: um projeto é uma organização temporária criada com o propósito de entregar um ou mais produtos de negócios. O Conselho Diretor detém a responsabilidade maior sobre o projeto (está acima do gerente de projeto). As principais certificações da Axelos são: PRINCE 2 Foundation, e PRINCE 2 Practitioner.

Gestão de Projetos: Comparativo entre PMBOK e PRINCE 2 - TABELA

Baseado nas características básicas de cada processo, considerando o PMBOK e o PRINCE 2, podemos fazer um gráfico comparativo, veja-o a seguir.

Gestão de Projetos: Comparativo entre PMBOK e PRINCE 2 - Gráfico

Não há fórmula mágica para a gestão de projetos, as metodologias podem ajudar, no entanto, é preciso entender que há um custo de tempo e dinheiro na preparação de bons profissionais para serem capazes de seguir essas metodologias e, acima de tudo, nada substitui o comprometimento dos colaboradores na busca de resultados. Outro ponto que se deve ponderar é o tamanho da Organização, e a complexidade do projeto, em relação à adoção, ou não, de uma das metodologias. Cabe também comentar que existem outras metodologias que podem ser mais adequadas às necessidades em questão, como por exemplo: o Seis Sigma, que é uma metodologia de gestão de projetos visando a melhoria de processos, ou o APQP, que é uma metodologia específica de gestão de projetos de produtos novos ou modificados, na indústria automotiva.


Comunicar Erro: Clique Aqui!


Autor: Rodrigo Vargas – Engenheiro mecânico (UFPR), pós-graduado em engenharia de man. mecânica (UFPR), pós-graduado em gestão empresarial (FGV), com mais de 17 anos de experiência em ambiente industrial, sendo mais de 13 anos ocupando cargos de gestão na indústria automotiva e eletroeletrônica; compartilhando conhecimento sobre gestão, há mais de 10 anos, através do portal GestaoIndustrial.com.


Copyright © 2009-2019 – Rodrigo Vargas e seus licenciantes - Material protegido - Para usos permitidos consulte os Termos de Uso. Infrações à lei e a estes Termos podem sofrer as penalidades cabíveis, na esfera civil e criminal.