Cultura Organizacional

Para chegar à Excelência!

Introdução

A Cultura Organizacional é o conjunto de valores e crenças que determina a forma de agir e pensar dos seus colaboradores. Ou seja, não basta colocar os valores em quadros espalhados pela Organização, e publicá-los no website, para criar uma verdadeira Cultura, é necessário que os colaboradores os vivenciem no dia-a-dia, a começar pelas lideranças.

Tipos de Cultura Organizacional

Quais são os tipos básicos de Cultura Organizacional? Veja-os, a seguir, da melhor para a pior situação:

  • CULTURA DE MELHORIA (conjunto de valores claros são vivenciados pela maioria, os treinamentos são frequentes, a maioria das lideranças é muito boa e focada na seleção e desenvolvimento de suas equipes)
  • CULTURA DE QUALIDADE (conjunto de valores claros mas não vivenciados pela maioria, treinamentos frequentes, a maioria das lideranças é boa mas focada em obter resultados com programas de qualidade, pouca preocupação em selecionar as pessoas das equipes)
  • CULTURA MEDIANA (conjunto de valores claros mas pouco vivenciados, pouco ou médio treinamento, lideranças boas e fracas são presentes na Organização, vê-se pessoas comprometidas trabalhando com pessoas não comprometidas)
  • CULTURA FRACA (quase não se percebe vivência de valores, pouco treinamento, a maioria das lideranças é fraca, pouco comprometimento)
  • CULTURA NENHUMA (não se percebe qualquer tipo de Cultura, não há vivência de valores, pouco ou nenhum treinamento, a maioria das lideranças é fraca e cada liderança age de um jeito, não se percebe comprometimento)

Como Implantar uma Cultura

A mais eficaz forma de implantação de uma Cultura Organizacional é através das lideranças e do treinamento, que são os dois pilares fundamentais na criação ou manutenção de uma Cultura de Melhoria. Além disso, e justamente por conta da importância das lideranças nesse processo, a implantação deve ocorrer de cima para baixo, o que chamamos de top-down, pois dessa forma, busca-se uma influência dirigida e positiva no ambiente.

Pesquisa 2017 Sobre Cultura Organizacional

Pesquisa* realizada pelo GestaoIndustrial.com, no período de 10/09/2017 a 11/11/2017 (2 meses), com a participação de 55 profissionais.

*Sem valor de amostragem científica

Perfil dos Respondentes

74% dos respondentes estão abaixo dos 35 anos.

 

A participação feminina foi de 44%, número melhor que o da pesquisa realizada em 2015.

 

Percentual de 13% dos respondentes se disseram desempregados, mas contribuíram mesmo assim com a nossa pesquisa, respondendo baseado no último emprego.

 

Muito boa a distribuição dos respondentes pelo Brasil, com predominância dos estados de São Paulo e Santa Catarina.

 

Prevaleceram os profissionais da indústria, o que já era esperado, o que acredito ser consequência tanto pelo fato do Portal estar relacionado ao tema da indústria, como pelo fato de minha rede profissional estar alinhada muito mais com esse setor.

 

Nessa pesquisa, cinco áreas se destacaram pela participação: Produção, Recursos Humanos, Vendas, Engenharia e Qualidade.

 

Os profissionais com 1 a 4 anos de trabalho na Organização foram maioria, com 40%, seguidos pelos novatos, com menos de 1 ano.

 

O respondentes se concentraram nas Organizações com até 50 colaboradores.

 

Apesar da pergunta anterior mostrar que quase a metade dos profissionais trabalhavam em empresas com até 50 colaboradores, as respostas dessa pergunta, que se refere agora ao tamanho total do grupo Organizacional de que fazem parte, mostram que o número de profissionais que pertencem a grupos com mais de 1000 colaboradores é de pouco mais de um terço.

 

A grande maioria, 69%, trabalha em empresas com mais de 10 anos de fundação.

 

Reforçando a questão anterior, essa resposta mostra que 56% dos profissionais pertencem a grupos Organizacionais fundados há mais de 10 anos.

Percepção dos Respondentes

Considerando que uma Organização de ponta, que deseja criar um bom ambiente de trabalho, ser competitiva, deve buscar ter a Cultura de Melhoria, ou, pelo menos, a Cultura de Qualidade, os números dessa questão mostraram que 40% das Organizações se encontram nesse patamar. Claro que aqui temos que considerar que estamos tratando de uma percepção do profissional que respondeu a questão, mas isso não diminui o impacto de perceber que um quarto dos respondentes consideraram trabalhar em Organizações com uma Cultura Fraca, ou mesmo Nenhuma.

 

O número que, talvez, mais surpreenda é esse que mostra que praticamente metade dos profissionais se dizem insatisfeitos no trabalho. Na pesquisa de 2012, pergunta onze, quando perguntamos sobre o grau de satisfação no trabalho (alto, médio, ou baixo), somente 7% indicaram um grau baixo de satisfação. Na pesquisa de 2015, pergunta sete, havíamos perguntados sobre a satisfação no trabalho (entusiasmado, insatisfeito,  ou nem um nem outro) e o percentual de insatisfeitos foi de 43%. Agora, essa pesquisa aponta um percentual de 49% de profissionais insatisfeitos no trabalho.

 

Das causas apontadas para insatisfação, insatisfação com o ambiente (22%), insatisfação com a chefia (19%), e insatisfação por falta de perspectiva/futuro (19%) foram as três maiores, antes mesmo da questão salarial (15%), que apareceu em quarto lugar.