Sua Postura Diz Mais do Que Você Imagina!

Sua Postura Diz Mais do Que Você Imagina!

A sua postura corporal fala mais sobre você do que você imagina. Isto porque, a sua postura corporal não apenas influencia os outros, mas, você mesmo. A postura é algo tão importante, mas tantas vezes negligenciada.

A Sua Postura Influencia os Outros

Imagine a seguinte cena: o gerente está no chão de fábrica, anda de cabeça baixa, ao parar para conversar com alguém, encosta o corpo em uma coluna, em outro movimento coça a cabeça e, em seguida, escorrega a mão desde a testa até a sua nuca. Muito bem, agora imagine o seguinte: o gerente está no chão de fábrica e caminha de cabeça erguida (sem arrogância, mas de forma natural), olha para os lados, ao parar para conversar com alguém, coloca as duas mãos na cintura, olhando no rosto da pessoa. O que lhe pareceram estas cenas? É flagrante que o primeiro gerente parece preocupado, pessimista, derrotado; enquanto o segundo transparece positivismo e energia.

Sabemos que nossa postura pode influenciar o pensamento dos demais, mas, infelizmente, o mais das vezes, não nos disciplinamos devidamente. Uma liderança, pela influência natural que exerce sobre os outros, deve educar sua postura, pois, numa empresa, nem todo mundo poderá ouvir o que ela fala, mas qualquer um poderá vê-la de longe, transformando a sua postura em deduções e conclusões. Sendo assim, cuide para que sua postura transmita energia e positivismo.

A Sua Postura Influencia Você Mesmo

Um estudo da psicóloga social e professora de Harvard Amy J.C. Cuddy, e de seus colegas Dana R. Carney, e Andy J. Yap, da Universidade de Columbia, publicado em 2010 no jornal científico Psychological Science, analisou o efeito e a influência da postura corporal sobre a própria pessoa. Segundo esse estudo, humanos e outros animais expressam poder através de posturas abertas e expansivas, e, ao contrário, expressam fraqueza através de posturas contraídas e fechadas. A questão a ser confirmada era se a adoção de um tipo, ou outro, de postura poderia realmente impactar de forma objetiva na própria pessoa. Para tanto, dois grupos assumiram posturas distintas por um minuto, enquanto um adotou posturas de alto poder (sentado em uma cadeira com as mãos atrás da cabeça e os pés sobre a mesa; de pé com as mãos sobre uma mesa e o corpo ligeiramente inclinado para a frente), o outro grupo adotou posturas de baixo poder (sentado com as mãos cruzadas entre as pernas; de pé com os braços cruzados e junto ao corpo e as pernas cruzadas). 

Observou-se que o grupo que adotou posturas de alto poder teve alterações positivas no sistema neuro-endócrino e no comportamento, haja vista que experimentaram um aumento na testosterona (hormônio do vigor) e redução do cortisol (hormônio do stress), além do que, percebeu-se um aumento dos sentimentos de poder e tolerância ao risco. As posturas de baixo poder, ao contrário, levaram o grupo a uma redução de testosterona e aumento de cortisol. Em resumo, adotar posturas de alto poder causou mudanças psicológicas, fisiológicas e comportamentais vantajosas e adaptativas.

Portanto, não apenas a mente influencia o corpo, mas o corpo também influencia a mente! Adote posturas positivas e de autoconfiança, pois, dessa maneira, não apenas vai influenciar positivamente os outros, como a si mesmo!

 


Comunicar Erro: Clique Aqui!


Autor: Rodrigo Vargas – Engenheiro mecânico (UFPR), pós-graduado em engenharia de man. mecânica (UFPR), pós-graduado em gestão empresarial (FGV), com mais de 17 anos de experiência em ambiente industrial, sendo mais de 13 anos ocupando cargos de gestão na indústria automotiva e eletroeletrônica; compartilhando conhecimento sobre gestão, há mais de 10 anos, através do portal GestaoIndustrial.com.


Copyright © 2009-2018 – Rodrigo Vargas e seus licenciantes - Material protegido - Para usos permitidos consulte os Termos de Uso. Infrações à lei e a estes Termos podem sofrer as penalidades cabíveis, na esfera civil e criminal.