Os 4 Maiores Erros de um CEO!

Os 4 Maiores Erros de um CEO!

Trabalhei mais de 17 anos em ambiente industrial, 13 somente como gerente. Esta experiência me deu uma visão muito boa, principalmente considerando uma perspectiva de gestão. Eu pude perceber abordagens que funcionam, e comportamentos ruins, pude reconhecer os bons hábitos, e as práticas ruins. A seguir, descrevo aquilo que considero o 4 maiores erros que um CEO industrial deve evitar, ao lidar com a sua equipe de gerenciamento.

Erro # 1 – Dar muita responsabilidade, mas pouca autoridade

Este é um erro perverso, e significa não equilibrar as responsabilidades atribuídas ao gerente com a autoridade a ele delegada. Por exemplo, imagine a tarefa de estruturar uma área inteira da Empresa, mas quando é necessário demitir ou contratar alguém, o gerente deve obter o acordo do Departamento de Recursos Humanos, ou mesmo do próprio CEO. Eu costumo dizer, o gerente sabe melhor que ninguém, onde lhe aperta o sapato. Se o CEO não confiar no gerente para ele escolher pessoas para trabalhar em sua área, melhor demitir, então, o gerente. Embora eu entenda que podemos, em alguns casos, tirar proveito de compartilhar o processo de demissão ou contratação, não há dúvidas de que a última palavra é do gerente responsável por sua equipe. Outro exemplo, se o CEO pediu ao gerente para melhorar a produtividade, esse gerente deve ter seu próprio orçamento, seja para aprovar a compra de novos equipamentos, ou a contratação de novos serviços, é uma decisão do gerente. E, novamente, se você, como CEO, não confia no gerente para lidar com um orçamento aprovado, demita-o. Se existe um gerente que é incompetente, é este que deve ser desligado, e o mais rápido possível, mas não trate a todos da equipe gerencial como incompetentes. Portanto, a autoridade deve ser dada na medida da responsabilidade do cargo, e todas as suas atribuições!

CEO e seus comadados CFO CCO CAO COO

Erro # 2 – Alta demanda, mas baixo suporte

Não é raro ver um gerente ser exigido para reduzir custos, aumentar produtividade, melhor o ambiente, reduzir prazos de entrega, e assim por diante. Porém, o CEO nunca está presente para discutir estratégias, concordar algumas ações de âmbito Organizacional, analisar dificuldades que envolvem outros gerentes, enfim, concordar ações que requerem um nível de autoridade superior. Imagine que o CEO pediu ao gerente para iniciar algum projeto importante, mas ele não vai sequer à reunião inicial. É claro que os gerentes devem saber trabalhar de forma independente, mas algum (mínimo) apoio por parte do CEO é realmente importante, principalmente em projetos que envolvem mudança, mas, infelizmente, alguns CEO’s parecem estar sempre fora do circuito, até que eles aparecem e exigem o trabalho feito! Se você é CEO, tenha certeza de dar o devido apoio ao time gerencial, não haja como se fosse um visitante na área.

Erro # 3 – Intransigência

Não é porque você é CEO, que pode deixar de usar o bom senso e a razoabilidade. Não é porque você é CEO, que pode exigir coisas absurdas, apenas porque você quer provar o seu poder. A intransigência torna muito difícil o trabalho diário. Então, é importante que o CEO demonstre alguma sabedoria e humildade. Se faltar sabedoria, mostre ao menos humildade; quando faltar humildade, mostre ao menos sabedoria.

Erro # 4 – Ausência

Um CEO precisa viajar muito, visitar clientes e feiras, e fazer outras coisas que ninguém sabe e, por isso, ele raramente está presente na Empresa, e muito menos no chão de fábrica, certo? Claro que não! Mil vezes, errado. Independentemente das atribuições do CEO, ele deve mostrar-se presente na Organização. É crucial que as pessoas vejam algumas vezes por mês o CEO caminhando pelas áreas da empresa, principalmente, pelo chão de fábrica, mostrando-se interessado nas pessoas, produção, qualidade e entrega. Isso soa como música para pessoas que trabalham arduamente no chão de fábrica e deixa claro que o trabalho que é feito é muito importante e, se o CEO se preocupa com o chão de fábrica, quem não irá se preocupar? Portanto, olhar para dentro de casa, e mostrar-se presente, também é uma das principais responsabilidades do CEO.

Evite esses perversos erros, e você estará no caminho para uma boa administração!


Autor: Rodrigo Vargas – Engenheiro mecânico (UFPR), pós-graduado em engenharia de man. mecânica (UFPR), pós-graduado em gestão empresarial (FGV), com mais de 17 anos de experiência em ambiente industrial, sendo mais de 13 anos ocupando cargos de gestão na indústria automotiva e eletroeletrônica.


Compartilhe o post na sua rede!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •