Liderança: Como Desenvolver a Sua?

Liderança: Como Desenvolver a Sua?

“Aquele que nunca aprendeu a obedecer, não pode ser um bom comandante.” – Aristóteles.

Eu considero a liderança uma das competências mais importantes de um gestor, na verdade, a mais importante. Não é à toa que eu, em vários dos meus livros, falo sobre a liderança: no Gestão Industrial de A a Z eu discorro sobre isso no capítulo “Liderança Eficaz”; no livro 52 Bons Hábitos de Gestão, Liderança e Relações Humanas, eu falo sobre isso em vários capítulos, inclusive, no “Aprenda a Dar Ordens”; no livro Cultura de Melhoria: Levando a Organização à Excelência, eu volto ao tema para mostrar a importância da liderança na criação da Cultura Organizacional de Melhoria.

O meu trabalho em várias Organizações, de variados tipos e tamanhos, me mostrou duas coisas sobre liderança: uma boa, e outra má. A boa é que a liderança é uma competência que, como qualquer outra, pode ser aprendida e desenvolvida. A má é que ela é negligenciada por muitos, inclusive por CEO’s e responsáveis de RH, que, em várias situações, eu vi tolerarem pessoas incompetentes e sem vontade de melhorar, sendo mantidas em importantes cargos de gestão.

Como Desenvolver a Liderança?

A liderança, ao contrário do que muitos pensam, não é uma característica inata, que dá superpoderes a uma determinada pessoa para poder influenciar outras. A liderança é, na verdade, uma reunião específica de competências que, como já disse, podem ser desenvolvidas. A minha experiência mostrou que, para desenvolver a liderança, você deve desenvolver um conjunto de 10 competências. Obviamente, algumas pessoas, como em tudo na vida, podem ter mais facilidade que outras para desenvolver determinadas competências; mas isso não quer dizer que alguém, com afinco e determinação, não possa desenvolvê-las. Também não é necessário que um líder tenha que ser, necessariamente, extrovertido (essa é uma pergunta que eu já ouvi várias vezes), pois pessoas como Barack Obama, Abraham Lincoln, Albert Einstein, Warren Buffett, Bill Gates e Emma Watson são consideradas introvertidas, mas sua liderança influencia (ou influenciou) milhões de pessoas; é necessário, sim, que um líder tenha uma boa comunicação, e isso quer dizer falar o que é preciso, no momento certo (não é falar muito, mas falar o suficiente).

Veja, a seguir, o que eu considero como sendo as 10 principais competências da liderança:

  1. Motivar a equipe: Sabemos que manter o ânimo da equipe elevado é condição essencial para uma equipe de alto desempenho, e que realização, recompensa e ambiente são fatores intrínsecos relacionados à motivação, assim como a confiança mútua, reconhecimento, apoio e a comemoração são fatores extrínsecos. Sejam extrínsecos ou intrínsecos, o líder deve procurar trabalhar esses fatores buscando o melhor nível possível. Por exemplo, o investimento em treinamento, além de procurar desenvolver e aumentar a competência do liderado, por si só, vai agir como fator motivador, atuando nos pilares da recompensa, realização, confiança e reconhecimento.
  2. Demonstrar equilíbrio emocional: O liderado precisa sentir que o seu líder é equilibrado emocionalmente, pois isso é essencial para que ele possa confiar no seu líder, e nas suas decisões ou ponderações. O equilíbrio é o ponto certo entre firmeza e flexibilidade.
  3. Ter uma visão positiva do futuro: O líder deve criar uma perspectiva positiva do futuro e do atingimento das metas e objetivos. Nenhuma equipe vai atrás de um líder derrotado, sem confiança, que acha difícil atingir metas ou que anda cabisbaixo para lá e para cá. O líder é um agente de mudanças.
  4. Ser justo: Isso inclui dar o exemplo. Ser coerente com seu discurso e assumir seus erros. O líder estabelece relações de confiança e transparência. Lembre-se: líder não é bonzinho! É justo acima de tudo!
  5. Ter Iniciativa/Pró-atividade: Capacidade de iniciar algo positivo, de quebrar a inércia, de buscar uma nova solução. Capacidade de se antecipar a um problema, evitando-o, ou minimizando seus efeitos.
  6. Aprender com os erros: Esse é um comportamento fundamental que o líder deve, não apenas praticar, mas estimular seus liderados a fazerem o mesmo. Todo erro trás consigo um aprendizado. Devemos analisar o erro a fim de entender o que deve ser feito para não repeti-lo. É o caminho para a cultura na Organização de Aprendizagem.
  7. Ter boa comunicação: Capacidade de ser claro e objetivo. Um bom líder não tem que falar muito, ou falar pouco, ele deve falar o suficiente. Ilustrar, ou dramatizar as ideias quando for preciso, também é um recurso a ser utilizado para a boa compreensão da comunicação. Tenha certeza de ser entendido, e, para isso, faça perguntas. Saiba argumentar, baseie-se em fatos e dados, estatísticas, exemplos, e outras experiências.
  8. Ter Foco em Resultados: Capacidade de entender a importância dos resultados dos processos, e ter determinação em buscá-los.
  9. Saber tomar as decisões difíceis e assumir riscos: Atravessar a rua tem risco, ficar em casa tem risco, liderar uma equipe e tomar decisões também envolve risco. Você deve estar preparado para assumir riscos, tomando as decisões que lhe cabem. Mas lembre-se: você deve obter as informações necessárias para justificar o que está fazendo. Decisões acertadas são baseadas em princípios morais, justiça, e maior benefício.
  10. Ser Criativo: Capacidade de criar ideias e novas soluções significativas. Capacidade de encontrar soluções mesmo em ambiente desfavorável, mesmo com poucos recursos.

Desenvolvendo cada uma dessas competências, você estará desenvolvendo a sua liderança. Mas, veja que, em nenhum momento, eu disse que isso é fácil; porém, não é, necessariamente, difícil. Como qualquer situação que exige aprendizado, é necessário ter vontade e dedicação. Lembro aqui a consagrada definição de competência, que é considerada o conjunto de três variáveis: conhecimento, habilidade e atitude. Portanto, você deve, com uma atitude positiva, buscar o conhecimento, e praticar para desenvolver a habilidade!


Comunicar Erro: Clique Aqui!


Autor: Rodrigo Vargas – Engenheiro Mecânico (UFPR), pós-graduado em Engenharia de Manutenção Mecânica (UFPR), pós-graduado em Gestão Empresarial (FGV), Tem mais de 30 anos de experiência profissional, sendo mais de 20 dedicados a atividades de gestão e liderança, tendo trabalhado em renomadas empresas multinacionais, com vivência profissional internacional na Europa, Ásia e América Latina. Rodrigo obteve certificação Black Belt na metodologia Seis Sigma, certificação Practitioner em Programação Neurolinguística, certificação de Auditor Líder do Sistema de Gestão da Qualidade ISO 9001, e formação complementar em Docência pela Fundação Getúlio Vargas. Rodrigo Vargas tem vários livros publicados nas áreas de gestão, finanças, e cognição; compartilhando conhecimento sobre gestão, há mais de 10 anos, através do portal GestaoIndustrial.com.


Copyright © 2009-2020 – Rodrigo Vargas e seus licenciantes - Material protegido - Para usos permitidos consulte os Termos de Uso. Infrações à lei e a estes Termos podem sofrer as penalidades cabíveis, na esfera civil e criminal.