O Uso do Smartphone nas Organizações – Parte II: Análise Cruzada de Dados

O Uso do Smartphone nas Organizações - Análise Cruzada de Dados

Se você já viu a análise direta dos dados da pesquisa sobre O Uso do Smartphone nas Organizações, convido-o, agora, a explorar os resultados através da análise cruzada, onde podemos adentrar ainda mais nos meandros dos dados, obtendo informações mais características e distintas. Veja-as, a seguir.

O Uso do Smartphone nas Organizações - Análise Cruzada de Dados

Esse primeiro gráfico nos mostra algo que, provavelmente, não seria imaginado pela grande maioria de nós: quanto maior a faixa etária, maior é a percepção do aumento da produtividade com o uso do smartphone. Ou seja, os mais velhos parece que sabem, ou, pelo menos, pensam que sabem lidar melhor com o smartphone, aumentando sua produtividade no dia-a-dia de trabalho. Por quê? Talvez porque os mais velhos viveram os tempos do radinho de pilha, ouviram música na fita cassette e no vinil, maravilharam-se com a chegada do fax, e viram nascer o celular tijolão que mal fazia ligação, e, então, conseguem dosar o uso da nova tecnologia, sem exageros, e focados na produtividade que as ferramentas do smartphone proporcionam. Isso, obviamente, é uma inferência que eu faço, no sentido de tentar entender o que os números nos mostram. Mas, sem dúvida, identificar que a percepção de aumento de produtividade no uso do smartphone aumenta com a idade, é uma informação importante para qualquer gerente Organizacional e qualquer pessoa preocupada com produtividade.


Nesse gráfico, tabulamos as funções profissionais versus a percepção da produtividade com o uso do smartphone e encontramos que todas as chefias acreditam ter maior produtividade com o uso do celular em relação aos profissionais da mesma área que não exercem função de chefia. Também percebemos que o pessoal de Marketing/Vendas conseguem uma produtividade maior que o pessoal das outras áreas. Isso está nos mostrando que nem todas as funções estão tendo o mesmo ganho de produtividade com o smartphone no trabalho e, pior ainda, o ganho de produtividade revelado ainda é muito sutil.


O Uso do Smartphone nas Organizações - Análise Cruzada de Dados

Nessa tabulação, vemos que o pessoal de Marketing/Vendas é quem fica menos tempo longe do celular, o que segue a lógica; mas a pergunta que devemos nos fazer é se é realmente necessário, considerando todas as áreas, tanta dependência do smartphone durante o trabalho; haja vista que, a área Operacional (a área menos dependente do celular) tem 30,7% de profissionais que não conseguem ficar mais de uma hora sem mexer no celular, e a área de Marketing/Vendas (a área mais dependente do celular) tem 76,9% de profissionais que não conseguem ficar mais de uma hora sem mexer no celular.


O Uso do Smartphone nas Organizações - Análise Cruzada de Dados

Nesse gráfico, vemos que as maiores fatias de uso de celular corporativo estão com as chefias Operacional (17,1%) e de Marketing/Vendas (15,4%). O pessoal Operacional é aquele que tem a maior fatia de uso de celular particular (76,9%), seguido pelo pessoal da área Administrativa e Financeira (71,8%).


O Uso do Smartphone nas Organizações - Análise Cruzada de Dados

Os profissionais que utilizam apenas o celular corporativo indicaram a maior percepção positiva de produtividade, enquanto que, ao contrário, os profissionais que utilizam apenas o celular particular indicaram a menor percepção positiva de produtividade.


O Uso do Smartphone nas Organizações - Análise Cruzada de Dados

Nesse gráfico, vemos que o pessoal que utiliza um celular particular foi quem indicou o menor percentual de uso  exclusivo para assuntos de trabalho (24,3%), enquanto que o pessoal que utiliza somente um celular corporativo foi o segundo maior percentual dedicado ao uso exclusivo em assuntos de trabalho (48,9%), logo atrás de um celular corporativo com dois chips (50,0%).


Muito Mais a Entender

Sem dúvida alguma, esse tema é vasto e extenso, e não se esgota aqui; ao contrário, pois, cada vez mais, ganha maior proporção nas Organizações e entendê-lo muito bem é uma necessidade. Por isso, trabalhar na busca da melhor utilização possível do smartphone nas Organizações deve ser tarefa obrigatória dos gestores e de todos os responsáveis por produtividade; além de ser, é claro, responsabilidade inerente a todo profissional que se preze! Desenvolver as oportunidades dessa ferramenta fantástica e, ao mesmo tempo, minimizar seus pontos fracos, esse é o desafio!


Comunicar Erro: Clique Aqui!


Autor: Rodrigo Vargas – Engenheiro mecânico (UFPR), pós-graduado em engenharia de man. mecânica (UFPR), pós-graduado em gestão empresarial (FGV), com mais de 17 anos de experiência em ambiente industrial, sendo mais de 13 anos ocupando cargos de gestão na indústria automotiva e eletroeletrônica; compartilhando conhecimento sobre gestão, há mais de 10 anos, através do portal GestaoIndustrial.com.


Copyright © 2009-2019 – Rodrigo Vargas e seus licenciantes - Material protegido - Para usos permitidos consulte os Termos de Uso. Infrações à lei e a estes Termos podem sofrer as penalidades cabíveis, na esfera civil e criminal.