Como Construir um Time Vencedor?

Esta é provavelmente uma das maiores indagações no mundo corporativo, dentro da área de liderança. Eu conheci dezenas de bons líderes, mas também, tantos outros ruins. Alguns não eram apenas líderes ruins, eram péssimos, e muitos deles, provavelmente, se achavam bons (Efeito Dunning-Kruger). Se você quer saber quão bom um líder é, basta ver o seu time.

Eu acredito que há alguns princípios a seguir quando você quer criar uma equipe vencedora. Você precisa estabelecer alguns pontos-chave que podem levá-lo a bons resultados com a equipe. Eu chamo esses 10 pontos-chave como sendo o Círculo Virtuoso da Equipe Vencedora.

Vamos vê-los, a seguir, em detalhes.

Visão positiva – Não aceite um membro da equipe que não tenha confiança no futuro. Atente ao fato de que confiar no futuro não significa ser um cara bobo, que não está preparado para a adversidade, e que pensa que nada pode dar errado, ao contrário, é sempre importante estabelecer planos de contingência em situações importantes, caso algo dê errado. Confiar no futuro quer dizer trabalhar duro para criar o futuro que se deseja, acreditando que se está no caminho certo.

Respeito mútuoNem pense em tolerar o desrespeito em sua equipe, é como um cancro, uma infecção que pode contaminar todos. O mesmo respeito que as pessoas têm com o líder é o respeito que o líder deve ter com a equipe, e é o mesmo respeito que cada um da equipe deve ter entre si. Lembre-se bem disso: não tolere falta de respeito!

HierarquiaPara possibilitar que as coisas aconteçam de acordo, a equipe deve ser um sistema estruturado de pessoas, organizadas por responsabilidades. De certa forma, como ocorre em um time de futebol, em que existe a diretoria, o treinador, o capitão, os jogadores, etc.

DisciplinaNão há bom trabalho, sem disciplina. A disciplina torna a equipe melhor, a disciplina torna a equipe mais forte, e a disciplina torna o trabalho mais fácil. É como diz a letra da música “Há Tempos”, de Renato Russo: “Disciplina é liberdade“.

ÉticaOs princípios morais e a ética são obrigatórios. A falta de ética em sua equipe é como uma bomba relógio, em algum momento vai causar estrago. Livre-se das pessoas que não vivem os valores morais no dia-a-dia, você não precisa delas.

Dedicação – Você, como líder, precisa de pessoas dedicadas e comprometidas com trabalho. Pessoas comprometidas podem salvar uma vida, pessoas comprometidas podem evitar um incêndio, pessoas comprometidas podem impedir perdas e prejuízos, pessoas comprometidas conseguem resultados!

CompetênciaCada membro da sua equipe deve ter a competência necessária, se não, treine-o e avalie-o. Se ele adquiriu a competência, felicite-o, se não, tente entender o porquê. Às vezes, o problema é o treinamento, às vezes o problema é a pessoa, ele pode estar no trabalho errado. Nesse caso, substitua-o por alguém com as competências adequadas.

Melhoria/InovaçãoTodos os membros da equipe devem buscar continuamente melhorar procedimentos, processos e resultados. Por isso, planejar as ações, e executá-las com virtude, é fundamental, além, é claro, de monitorar e controlar os resultados. Outro aspecto que leva à melhoria continua, é o aprendizado com os erros cometidos. Não devemos ter medo de errar, mas devemos nos preparar para minimizar os riscos de erro; e se houver o erro, devemos entender o porquê dele ter ocorrido, para que não se repita.

Resultado – No final das contas, é o resultados que mantém o negócio, portanto, todos na equipe devem ter bem claro os objetivos, para que possam manter o foco no atingimento dos resultados.

ComemoraçãoVocê pode imaginar um jogador de futebol não comemorar após marcar um gol? Estranho, não é? Então, comemore com sua equipe todas as conquistas significativas. Isso é importante para manter vivo o círculo virtuoso da equipe vencedora!

Construa o seu time considerando esses pontos-chave, tendo a certeza de fazer com que todos os conheçam, os entendam, e os vivenciem, e veja você mesmo o resultado!


Autor: Rodrigo Vargas – Engenheiro mecânico (UFPR), pós-graduado em engenharia de man. mecânica (UFPR), pós-graduado em gestão empresarial (FGV), com mais de 17 anos de experiência em ambiente industrial, sendo mais de 13 anos ocupando cargos de gestão na indústria automotiva e eletroeletrônica.


Compartilhe o post na sua rede!